Numero 343

 

 

 

 

Image 

 

Estou, a partir deste número, fazendo uma réplica do Boletim de novo no blogspot. Apesar de o wordpress ser muito interessante, ele tem um problema que acho grave: a gente edita e quando é publicado sai bem diferente. No blogspot tenho mais controle.

 

Mas os textos e imagens de um e de outro são absolutamente iguais. Você terá a liberdade de consultar onde achar mais interessante.

 

O outro endereço é http://boletimricardo.blogspot.com.br/

Image

ARTIGOS COMPLETOS

 

Onde está o Povo?

 

por Saul Leblon

Há certo gosto de decepção no ar. O conservadorismo que durante meses, anos, cultivou o julgamento do chamado mensalão como uma espécie de terceiro turno sanitário, capaz de redimir revezes acumulados desde 2002 no ambiente hostil do voto, de repente percebe-se algo solitário na festa feita para arrebanhar multidões. 

Como assim se os melhores buffets da praça foram contratados; a orquestra ensaiou cinco anos a fio e o repertório foi escolhido a dedo? 

Por que então a pista está vazia? 

Pouca dúvida pode haver, estamos diante de um evento de coordenação profissional.

O timming político coincide exatamente com o calendário eleitoral de 2012; a similitude e a precedência comprovadas do PSDB na mesma e disseminada prática de caixa 2 de campanha –nem por isso virtuosa–, e que ora distingue e demoniza o PT nas manchetes e sentenças, foi enterrada no silêncio obsequioso da mídia. 

Celebridades togadas não sonegam seu caudaloso verbo à tarefa de singularizar o que é idêntico.Tudo caminha dentro do figurino previsto, costurado com o afinco das superproduções, o que falta então? 

Apenas o essencial: a alegria do povo. 

A população brasileira não tem ilusões. Ninguém enxerga querubins no ambiente nebuloso da luta política. Consciente ou intuitiva, ela sabe a seu modo que a política brasileira não é o que deveria ser: o espaço dos que não tem nenhum outro espaço na economia e na sociedade.

A distância em relação ao ambiente autofestivo da mídia condensa essa sabedoria em diferentes versões. 

Privatizada pelo financiamento de campanha a cargo dos mercados, a política foi colonizada pelos mercadores. Afastada do cidadão pelo fosso cravado entre a vontade da urna e o definhamento do voto no sistema representativo, a política é encarada exatamente como ela é: um matrimônio litigioso entre a esperança e a decepção. 

O PT do qual se cobra aquilo que não se pratica em muitos círculos – à direita e à esquerda – é protagonista dessa ambiguidade; personagem e cronista dos seus limites, possibilidades e distorções. 

Que tenha aderido à lógica corrosiva do financiamento eleitoral vinculado ao caixa 2 das empresas e , ao mesmo tempo, protagonizado um ciclo de governo que faz do Brasil hoje o país menos desigual de sua história (de obscena injustiça social), ilustra a complexidade desse jogo pouco afeito a vereditos binários. 

Essa ambiguidade não escapa ao discernimento racional ou intuitivo da sociedade. 

Se por um lado semeia degenerações clientelistas e apostas recorrentes nos out-siders que se apresentam como entes ‘acima dos partidos’, ao mesmo tempo é uma vacina de descrença profilática em relação a encenações de retidão como a que se assiste agora. 

A repulsa epidêmica dos eleitores de São Paulo a um dos patrocinadores 
desse rega-bofe, do qual se imaginava o principal beneficiário, é sintomática do distanciamento que amarela o riso de vitória espetado nos cronistas convidados a animar o evento. 

O baixo custo eleitoral do julgamento em curso no STF, contudo, não deve ensejar alívio ou indiferença na frente progressista da qual o PT é um polo central. 

O julgamento do chamado ‘mensalão’ por certo omite o principal e demoniza o secundário. Ao ocultar a dimensão sistêmica a qual o PT aderiu para chegar ao poder, sanciona o linchamento de um partido democrático, uma vez que desautoriza seu principal argumento de defesa.

A meia-verdade atribuída aos réus do PT pelos togados e promotores está entranhada na omissão grotesca da história de que se ressentem suas sentenças pretensiosamente técnicas, envelopadas em liturgia mistificadora.

A pouca ou nenhuma influência eleitoral desse engenhoso ardil que elegeu a ausência de provas como a principal prova condenatória diz o bastante sobre o alcance da hipocrisia vendida como marco zero da moralidade pública pelos vulgarizadores midiáticos.

Não é esse porém o acerto de contas com o qual terá que se enfrentar o PT. 

Após uma década no governo federal, o partido, seus intelectuais, lideranças e aliados nos movimentos sociais tem um encontro marcado com uma indagação incontornável, que não é nova na história das lutas sociais: em que medida um partido progressista tem condições de se renovar depois da experiência do poder? Em que medida tem algo a dizer sobre o passo seguinte da história?

O legado inegociável das conquistas acumuladas nesses dez anos entrou na casa dos brasileiros mais humildes, sentou-se à mesa, integrou-se à família. Ganhou aderência no imaginário social.

Não é preciso desconhecer os erros e equívocos para admitir que essa década mudou a pauta da política; alterou a face da cidadania; redefiniu as fronteiras do mercado e da produção.Deu ao Brasil uma presença mundial que nunca teve.

Com todas as limitações sabidas, criou-se uma nova referência histórica no campo popular em que antes só avultava a figura de Getúlio Vargas.

Lula personifica essa novidade que a população entende, identifica e respeita. 

E que o enredo do ‘mensalão’ gostaria de sepultar. 

Não está em jogo abdicar do divisor conquistado, mas sim ultrapassá-lo. Avulta que o percurso concluído abriu flancos, sugou agendas, talhou cicatrizes e escavou revezes de esgotamento, dos quais o julgamento em curso no STF é um exemplo ostensivo. Todavia não o principal. 

Existe uma moldura histórica mais ampla a saturar esse ciclo. 

O colapso da ordem neoliberal, os riscos intrínsecos espetados na desordem financeira e ambiental em curso no planeta –suas ameaças às conquistas brasileiras– formam um condensado de culminâncias que pede desassombro na renovação da agenda da democracia e do desenvolvimento para ser afrontado.

O caminho não será trilhado, menos ainda liderado, por forças e partidos incapazes de incluir na bússola do trajeto o ponteiro da autocrítica política e de um aggiornamento organizativo coerente com a renovação cobrada pela história. 

O carro de som da direita faz barulho por onde passa nesse momento. Mas isso não muda a qualidade da mercadoria que apregoa. 

O que o alarido dos decibéis busca vender é o velho pote de iogurte vencido e rançoso, cuja versão eleitoral em São Paulo tem 43% de rejeição popular. 

A resposta da frente progressista à qual o PT se insere não pode ser a mera denúncia da propaganda enganosa. 

Urge esquadrejar revezes e resoluções para renovar o próprio estoque de metas e métodos requeridos pelo novo ciclo da história.

 

(Capturado de http://maureliomello.blogspot.com.br/2012/08/onde-esta-o-povo.html )

 

 

 

 

 

 

 

Evitem a Espanha no dia 25 de setembro

 

A revolução espanhola já tem data e local para acontecer. Será no dia 25 de setembro, em frente ao Congresso. Alguém, por acaso, ouviu falar a esse respeito? Mesmo na Espanha, a mídia mais tradicional ignorou solenemente o movimento até dia 29, quando o governo espanhol fez uma declaração de guerra aos coordenadores do protesto.

 

Antonio Lassance (WWW.cartamaior.com.br)

 

A Espanha está prestes a fazer uma espécie de Revolução dos Cravos. Alguém ainda se lembra dessa revolução portuguesa, de 1974, que deu fim à sua ditadura? Pois é, um golpe democrático, com tanques nas ruas e militares armados, para ninguém botar defeito. Tudo bem que os fuzis estavam delicadamente decorados com cravos, em lugar de baionetas, e as armas serviam ao propósito de mostrar que os civis estariam protegidos. Mas não deixou de ser um golpe de Estado.

Seus vizinhos ibéricos estão armando algo parecido, mas sem tanques nem armas. A revolução espanhola já tem data e local para acontecer. Será no dia 25 de setembro, em frente ao Congresso. Alguém, por acaso, ouviu falar a esse respeito? Provavelmente, pouquíssima gente. Mesmo na Espanha, a mídia mais tradicional ignorou solenemente o movimento até ontem (29/08), quando a delegada do governo espanhol em Madri fez uma declaração de guerra aos coordenadores dessa marcha, que quer abraçar o Congresso e por lá permanecer por algum tempo.

Cristina Cifuentes, que fala em nome da lei e da ordem em Madri, membro do direitista Partido Popular (o mesmo do chefe de governo, Mariano Rajoy), disse, alto e bom som, que “grupos muito radicais, tanto de direita como de esquerda”, estão tramando de fato “um golpe de Estado encoberto” por essa movimentação. Se há grupos de direita organizando a farra, realmente, foi no mínimo uma indelicadeza não terem convidado Cifuentes, Rajoy, José María Aznar e outros expoentes da direita espanhola.

O alerta lançado por aquele governo, a rigor, é um clássico erro de tática política. Ao centrar fogo contra a mobilização, o governo acaba de lhe prestar dois grandes favores. Ajudou imensamente a sua divulgação, que andava restrita às redes sociais, e inventou um desafio que deve ser aceito por muitos. Às avessas, Cifuentes simplesmente convocou os indignados.

Para arrematar, a delegada fez uma ameaça direta: o local será protegido pelos corpos e forças de segurança do Estado ante qualquer tipo de ataque, como, por exemplo… abraçar o Congresso. Afinal, se trata de “um lugar inviolável”, completou. Tem toda a razão. Imaginem vocês um Congresso sendo violado pelo povo! Nada como um partido que carrega honestamente o adjetivo “popular” para nos lembrar disso.

É bom que se evite a Espanha no dia 25 de setembro. Primeiro, porque há o sério risco de você ser barrado na porta de entrada, como tem acontecido com aquele povo invasor bárbaro, os brasileiros. Segundo, porque uma tempestade perfeita se formará nesse momento. Conforme os porta-vozes oficiais atestam, o protesto está eivado de radicalismo e subversão.

Não adianta negar. Está escrito, preto no branco, na página da coordenação do 25 de Setembro, que se quer “um novo modelo social, baseado na soberania popular participativa”, como forma de reverter a “injusta situação de perda de liberdades e direitos (saúde, educação, serviços sociais, emprego, moradia)”, e por aí vai. Se alguém duvida, confira a página subversiva em http://coordinadora25s.wordpress.com/ ou o perfil deles no Twitter: @Coordinadora25S

Os insaciáveis, em sua sede de poder, querem uma nova Constituição e uma reforma político-eleitoral. Ou seja, querem acabar com a política como ela é e ficam pedindo mais democracia. Conclusão da direita espanhola: só pode ser gente autoritária. Eis a subversão.

Não satisfeitos, os radicais se arvoram a reivindicar um programa econômico. Propõem auditoria da dívida, reforma fiscal para que os ricos paguem mais impostos, fim dos cortes de gastos sociais e investimentos para a geração de empregos. Eis o radicalismo.

Com o país em uma recessão que deve prolongar-se pelo ano de 2013, e que alguns avaliam como a pior dos últimos 40 anos; com o maior desemprego da Europa (um em cada quatro espanhóis está desempregado); com seus bancos com rombos gigantescos; diante de tudo isso, o que fez o governo? À beira de um ataque de nervos, achou por bem marcar a data do fim do mundo para antes do que previa o Calendário Maia.

Grande ideia.

 

 

 

Antonio Lassance é cientista político e pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). As opiniões expressas neste artigo não refletem necessariamente opiniões do Instituto.

 

 

 

 

 

VALE A PENA LER

 

Realidade da Educação: Os desafios do Brasil
O esforço de transformação do sistema educacional deverá ser acompanhado, para ter êxito, por uma política intensa de geração de empregos e de promoção de investimentos. Fazer crer que a educação isoladamente é o maior desafio da sociedade brasileira sem associar a educação à necessidade de aumento da capacidade instalada e do emprego contribui para evitar o debate sobre a concentração de renda e de riqueza, e a urgência cada vez maior de promover sua desconcentração. O artigo é de Samuel Pinheiro Guimarães.

 

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20783&boletim_id=1350&componente_id=22323

 

 

 

Paraísos fiscais, um porto seguro para multimilionários
Seis coisas que devemos saber sobre os 21 trilhões de dólares que as pessoas mais ricas do mundo escondem em paraísos fiscais. Ao mesmo tempo em que os governos cortam o gasto público e demitem os trabalhadores, em prol de uma maior “austeridade” obrigada pela desaceleração da economia, os super-ricos – menos de 10 milhões de pessoas – esconderam longe do alcance do arrecadador de impostos uma quantidade igual às economias japonesa e estadunidense juntas.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20782&boletim_id=1350&componente_id=22326

 

 

 

Uma triste euforia na Zona do Euro
Alguns comentaristas na mídia alemã já estão olhando com”discreta euforia” para uma possível “recuperação da Europa” a partir de 2013. A alegria é tanta que uma matéria do Financial Times Deutschland veio acompanhada pela figura de um “Capitão Europa”, paródia do “Capitão América”. Quais seriam os indicadores dessa alegria? O amargo remédio para a crise está triturando salários e massacrando populações vistas como “perdulárias”. O artigo é de Flávio Aguiar, direto de Berlim.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20807&boletim_id=1356&componente_id=22467

 

Por que você está muito mais pobre do que pensava estar
Cerca de 61% de todos os estadunidenses eram “classe média” em 1971, enquanto, hoje, o número caiu para 51%. A classe média está envolvida em uma guerra até a morte nos Estados Unidos com os agentes de Wall Street que pretendem privá-los do trabalho, tirar seus ativos, executar a hipoteca de suas casas, e deixá-los sem nenhum dinheiro para enfrentar a velhice. É apenas uma boa e velha luta de classes – e como Warren Buffett opinou – a classe dele está ganhando. O artigo é de Mike Whitney.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20822&boletim_id=1359&componente_id=22542

 

 

 

Crise econômica pode ampliar desigualdades entre homens e mulheres no mundo do trabalho
Responsáveis pelo trabalho doméstico e de cuidados, não valorizados pela economia de mercado, as mulheres também são as mais atingidas pelos mecanismos de precarização do trabalho. Para especialistas do campo da economia feminista, a retirada do Estado de serviços essenciais sempre redunda em mais trabalho para as mulheres. Num cenário de crise, é urgente romper com a divisão sexual do trabalho doméstico e desenhar um novo paradigma de sustentabilidade da vida humana. A reportagem é de Bia Barbosa.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20817&boletim_id=1359&componente_id=22544

 

 

 

Quanto algumas ONGs ganham com a miséria?

 

SÉRGIO DOMINGUES

 

“Quanto vale ou é por quilo?” é o filme de Sérgio Bianchi. ONGs e entidades desonestas são acusadas de lucrarem com a miséria, usando dinheiro público. E ainda mostra como a miséria tem cor e endereço certos. É negra e favelada… LEIA NA ÍNTEGRA: http://espacoacademico.wordpress.com/2012/09/01/quanto-algumas-ongs-ganham-com-a-miseria/

 

 

 

Leia no WWW.outraspalavras.net

 

O capitalismo americano
Emergência histórica dos EUA enquanto grande potência foi muito menos original e criativa do que pensam alguns historiadores e economistas. Por José Luís Fiori

 

Quem lucra com o aquecimento global
Enquanto centros de pesquisa alarmam-se com derretimento do Ártico, empresas como Shell avançam planos para extração de petróleo de altíssimo risco ambiental. Por Daniela Frabasile 

Ocupação israelense volta a desafiar Direito Internacional
Relator da ONU denuncia confinamento de crianças palestinas em solitárias. Ao sul de Hebron, mais de mil pessoas arrancadas com brutalidade de suas casas e plantações. Por Andressa Pellanda

 

Como as elites estão rompendo o pacto social
Manuel Castells escreve: com argumentos inconsistentes e sem visão de futuro, Ocidente constrói um Estado de Mal-estar. Para enfrentá-lo, novas alianças serão indispensáveis.

Intocáveis, ou a salvação da Europa pelos negros
Embora previsível e tendente ao clichê, filme de Nakache e Toledano faz imenso sucesso, talvez por contrapor-se à xenofobia que infelicita Velho Continente. Por José Geraldo Couto

 

 

 

INFORMAÇÕES

Image

por Gisele Teixeira (http://maureliomello.blogspot.com.br/2012/09/pobre-pig-so-hoje-entraram-no-assunto.html)

 

Um dos filmes de maior recorde de público em Buenos Aires nas últimas semanas se chama A Educação Proibida, do diretor argentino Germán Doin.

Em pouco mais de duas semanas, foram 605 projeções independentes em cerca de 20 países, mais de 2,8 milhões de reproduções na web, 300 mil downloads e 55 mil fãs no Facebook (dados de domingo).

Tudo isso para um documentário de duas horas e meia sobre um tema que geralmente não dá grande bilheteria: a educação.

O diretor tem apenas 24 anos e o projeto foi todo financiado coletivamente por 704 pessoas que colocaram US$ 62.700 para viabilizar as mais de 90 entrevistas com educadores de oito países.
O filme mescla animação, dramatização com voz em off, entrevistas e uma história de ficção para questionar o atual sistema educativo no Ocidente. Criado há mais de 200 anos, mantém até hoje uma estrutura vertical, baseada na competição, divisão de idades, classes obrigatórias, currículos desvinculados da realidade e sistema de prêmios e castigos.

Longe de responder às necessidades e desejos dos pequenos, a escola hoje é um estacionamento de crianças, onde elas ficam sendo adestradas até o momento de trabalhar. Se algum não se adapta ao sistema, fracassa. O que não se vê é que não é o estudante que fracassa, e sim o sistema que está mal pensado, resume um dos entrevistados, o investigador chileno Carlos Muñoz.

O documentário também se propõe a discutir outros modelos de ensino as experiências proibidas – como a logosofia, Montessori, Waldorf, Killpatrick e Paulo Freire, para citar alguns. Todos estão detalhados no site do filme, onde também se pode baixar o documentário ou vê-lo on line.

O diretor não defende nenhum método específico, somente pensar a educação retirando o professor e os conteúdos do centro da cena e colocando aí o aluno, com seus desejos e aptidões individuais. Esquecer a ideia de disciplina, autoridade e competência, e a substituir por respeito, liberdade e amor.

Em entrevistas ao jornal Página 12, Germán Doin afirma que tem duas teses para o sucesso do filme, uma pessimista e outra positiva. A primeira é que se trata de um fenômeno das redes sociais. A segunda, que há uma necessidade urgente de falar sobre educação.

No momento em que o prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, instala um 0800 nas escolas públicas para denunciar atividades de cunho político entre os estudantes, não tenho a mínima dúvida sobre qual das duas opções está correta. O tema está na pauta. Por sorte.

 

 

 

Prezados,

 

Estamos reabrindo pela terceira vez o concurso para prof. temporário 40hs para Ensino de História, solicito que divulguem para aqueles que possam ter interesse. Todas as informações estão em “concursos” no site da UFVJM: Edital 122.

 

Agradeço aos que puderem divulgar.

 

Att,

 

Dr.ª Elaine Sodré
Coordenadora do Curso de História
Profª Adjunta – FIH/UFVJM/Diamantina

Image

MURAL DO HISTORIADOR: EVENTO SOBRE NAZISMO | ARQUIVOS

 

A VII Semana de História Política da UERJ prorrogou o prazo de inscrições. 10 de setembro é a nova data-limite para o envio de propostas de comunicação. São mais de 46 mesas temáticas. Uma delas, intitulada “Nazismo, II Guerra, Holocausto: Desafios do Tempo Presente”. Além disso, confira também o evento “O perfil profissional dos historiadores atuantes em arquivos”[Leia mais]

 

CAFÉ EXPRESSO NOTÍCIAS:“ENSINAR É MUITO MAIS QUE PASSAR CONTEÚDO”

 

Para pesquisadora, mais que instruir sobre fatos, escola deve atender às necessidades sociais e emocionais[Leia mais]

 

DIVULGUE SEU BLOG NO CAFÉ: VISIBILIDADE PARA O SEU PRODUTO

 

Já pensou em anunciar o seu blog ou site para uma ampla e segmentada audiência[Leia mais]

 

CINE HISTÓRIA: INTOCÁVEIS

 

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. [Leia mais]

 

CONCORRA A UM LIVRO: O CERCO DE LENINGRADO

 

Vamos sortear dois exemplares do novo livro do historiador Pierre Vallaud. [Saiba mais]

 

DOCUMENTO HISTÓRICO:  FOTOGRAFIA ESCOLAR DO INÍCIO DO SEC.XX

 

Album de fotografia mostra aula de educação física, no início do século XX em São Paulo. [Saiba mais]

 

CONTEÚDO DA SEMANA: GRANDES CIVILIZAÇÕES: ÍNDIA

Série “Grandes Civilizações”: A Índia (Parte 1) – TV Escola. [Leia mais]

REDES SOCIAIS: SIGA-NOS NO TWITTER E FACEBOOK!

Twitter: https://twitter.com/cafehistoria

Facebook: https://www.facebook.com/CafeHistoria

 

Visite Cafe Historia em: http://cafehistoria.ning.com/?xg_source=msg_mes_network

Image 

Concursos

PROFESSOR ADJUNTO DE ARQUIVOLOGIA
Instituição: Universidade Federal Fluminense (UFF)
Inscrições: até 06/09/2012
Mais informações

COMISSÃO NACIONAL DE INCENTIVO À CULTURA – CNIC
Instituição: Ministério da Cultura (MINC)
Inscrições: até 06/09/2012
Mais informações

EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PPGHIS
Instituição: Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Inscrições: até 10/09/2012
Mais informações

PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA – MESTRADO E DOUTORADO
Instituição: Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Inscrições: de 10 até 14/09/2012
Mais informações

PÓS-GRADUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS
Instituição: Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP)
Inscrições: de 10 a 14/09/2012
Mais informações

2ª EDIÇÃO DO CONCURSO CEHIBRA FONTE DA MEMÓRIA
Instituição: Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ)
Inscrições: até 30/09/2012
Mais informações

DOIS CARGOS PARA PROFESSOR DE HISTÓRIA ANTIGA
Instituição: Universidade de São Paulo (FFLCH/USP)
Inscrições: de 03/09 até 02/10/2012
Mais informações

SELEÇÃO 2013 – MESTRADO EM HISTÓRIA REGIONAL E EM ENSINO DE HISTÓRIA E SABERES HISTÓRICOS
Instituição: Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Inscrições: de 17/09 até 11/10/2012
Mais informações

PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA – CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO
Instituição: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Inscrições: de 10/09 a 11/10/2012
Mais informações

SELEÇÃO AO CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA- TURMA 2013
Instituição: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Inscrições: de 03/09 a 15/10/2012
Mais informações

MESTRADO ACADÊMICO EM DIREITOS HUMANOS
Instituição: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Inscrições: de 01 a 26/10/2012
Mais informações

PROCESSO SELETIVO INGRESSO 2013
Instituição: Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)
Inscrições: de 24/09 até 26/10/2012
Mais informações

 

Congressos e Eventos

XIII CONGRESO DA SOCIEDAD LATINOAMERICANA DE ESTUDOS SOBRE AMÉRICA LATINA Y DEL CARIBE (novo)
Data: 11 a 14 de setembro de 2012
Local: Universidad de Cartagena (Cartagena de Indias, Colombia)
Mais informações

JORNADAS JAIME CORTESÃO: CÁTEDRA JAIME CORTESÃO – 20 ANOS (novo)
Data: 12 a 14 de setembro de 2012
Local: Cátedra Jaime Cortesão (FFLCH/USP)
Mais informações

SEMINÁRIO 10 ANOS GRUPHESP: HISTÓRIA, SABERES E AÇÕES INSTITUINTES EM EDUCAÇÃO (novo)
Data: 26 de setembro, 25 de outubro e 29 de novembro de 2012
Local: Universidade Federal Fluminense (UFF – Campus Gragoatá)
Mais informações

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA
Data: 01 a 03 de outubro de 2012
Local: Universidade Federal do Ceará (UFC)
Mais informações

II SEMANA DE HISTÓRIA DA LICENCIATURA DO IFG (novo)
Data: 01 a 04 de outubro de 2012
Local: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG)
Mais informações

VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM MEMÓRIA E PATRIMÔNIO – PATRIMONIALIZAÇÕES: ATORES E CONFLITOS (novo)
Data: 03 a 05 de outubro de 2012
Local: Associação Comercial de Pelotas (ACP)
Mais informações

IV SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUANDOS EM HISTÓRIA MODERNA
Data: 04 e 05 de outubro de 2012
Local: Universidade Federal Fluminense (UFF)
Mais informações

VI SEMINÁRIO ANUAL DO LABORATÓRIO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA ESQUERDA E DAS LUTAS SOCIAIS (novo)
Data: 04 a 08 de outubro de 2012
Local: Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
Mais informações

XXIX SEMANA DE HISTÓRIA – “O MUNDO ATLÂNTICO: TEMPOS E ESPAÇOS (novo)
Data: 08 a 10 de outubro de 2012
Local: Universidade Estadual Paulista (UNESP-Assis)
Mais informações

IX ENCONTRO DE HISTÓRIA DA ANPUH-ES: HISTÓRIA, POLÍTICA E LIBERDADE (novo)
Data: 15 a 18 de outubro de 2012
Local: Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Mais informações

II CONGRESSO INTERNACIONAL DE MUSEOLOGIA: PATRIMÔNIOS E ACERVOS (novo)
Data: 24 a 26 de outubro de 2012
Local: Museu da Bacia do Paraná (MBP)
Mais informações

IV SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS CULTURAIS AFRO-BRASILEIROS E I SEMANA AFRO-PARAIBANA: LITERATURA, MEMÓRIA, HISTÓRIA (novo)
Data: 30 de outubro a 01 de novembro de 2012
Local: Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Mais informações

IV ENCONTRO DO GT HISTÓRIA DAS RELIGIÕES E DAS RELIGIOSIDADES (novo)
Data: 07 a 09 de novembro de 2012
Local: Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Mais informações

Anúncios

Sobre boletimdehistoriaricardo

Este Boletim é voltado, principal mas não exclusivamente, para historiadores e estudantes. Seu propósito é fornecer informações, notícias, links. Contribuições são bem-vindas. As opiniões exaradas em artigos assinados não são, necessariamente, as do editor. Mas o espaço é plural.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

2 respostas a Numero 343

  1. Augusto César Melo Leite diz:

    Estou muito feliz de ter encontrado esse site. Como Historiador, digo que até o momento, não encontrei nada melhor! É muita informação de extrema utilidade. Parabéns aos seus idealizadores. Muito obrigado por tudoo isso!

    • Obrigado, Augusto!
      É muito bom ouvir comentários como este seu, afinal, o trabalho que dá colocar este Boletim no ar toda semana é grande!
      Principalmente porque não houve “idealizadores”, tudo é feito apenas por mim..rsss
      Apareça sempre!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s